terça-feira, 10 de março de 2015

Dengue em alta no Brasil

Monitorar a Dengue é um problema:

Se você quiser acompanhar on-line os números da dengue no Brasil, não vai conseguir. Mesmo percorrendo uma via-sacra por notícias, portais de governos, não terá sucesso. Você pode tentar extrair dados do DATASUS (o que não é nada mole), mesmo assim os dados estarão desatualizados.

O cidadão navega às cegas e recebe informações somente pontuais. Isso ocorre porque esses dados são totalmente dependentes do registro e envio, pelas pessoas que trabalham na área da saúde, da informação dos casos. Um processo muito descentralizado e que demora um bocado, além de ser sujeito a erros. Claro que o foco é (ou deveria ser) cuidar bem do doente, mas obter esses dados é fundamental para o controle da peste.

Uma solução genial:

Um estudo do Google mostrou que há uma forte correlação entre os números oficiais dos governos e o número de procura por palavras-chaves relacionadas à dengue na sua ferramenta de busca. Um modelo simples de regressão prediz com precisão surtos epidêmicos da doença em vários países. Veja os dados atualizados ontem para o Brasil:



Então, parece que além de recessão, inflação, crise hídrica, crise política, petrolão..., vem aí um ano difícil também pela incidência de dengue.

Fica a dica: sempre que você tiver dificuldade de monitorar indicadores cujos dados são difíceis ou complexos de se obter, procure por indicadores alternativos que possam ter alta correlação com os originais. Você pode economizar muito esforço e investimento para sua equipe.

Até
Roberto

Obs. 1: Gostei muito do gráfico do Google porque mostra o comportamento sazonal da dengue. Não entendi porque não começaram a escala X em janeiro. Assim, tentei reproduzir o gráfico com o calendário normal. Veja só:


Um comentário: