terça-feira, 17 de março de 2015

Chuto uns 600 mil

Essa é a pergunta polêmica da semana: quantos protestaram em São Paulo no domingo? 210 mil ou 1 milhão?

O Data Folha e a PM/SP divergem enormemente e defendem suas metodologias. Os dois certamente estão errados, a questão é saber quem cometeu o menor erro e de quanto. Pela foto que saiu na Veja não eram poucos:



Vejamos alguns pontos:
  • A Folha contou, por meio de observadores divididos em setores, o número de entrantes na passeata hora a hora. Não ficou claro pra mim a abrangência dessa medição. Outras áreas adjacentes à Paulista foram medidas?
  • A PM/SP calculou, por meio de fotos, a área ocupada e estimou a densidade em 5 pessoas por m2. Para chegar aos 1 milhão, a PM deve ter observado que 200 mil m2 estavam ocupados, então.
  • Hoje a Folha se defende dizendo que a estimativa de 5 pessoas por m2 é muito alta porque seria equivalente a de um vagão do metrô lotado. Usa uma referência da Prefeitura do Rio que diz que densidade média mais comum seria de 3 pessoas por m2.
  • A Própria Folha fez um estudo em 2011 dizendo que a Paulista tem espaço de 135,5mil m2 para ser ocupado em manifestações.
Só posso sentir no ar que há problemas. Minha sensação é que a PM superestimou e a Folha subestimou o número. Considerando os 200 mil m2 da PM (área da Paulista + adjacências) com a densidade de 3 proposta pela Folha, chega-se a 600 mil participantes.

Gostei desse número porque bate com o jeito mais antigo de se fazer uma estimativa usando as já feitas por outros: basta usar a média.

Esse método foi usado pela primeira vez pelo cartógrafo Michael van Langren (1598-1675). Ele calculou a distância entre Toledo e Roma por meios de várias estimativas de que dispunha na época, veja o gráfico que ele fez:



Por esse método chega-se aos mesmos 600 mil.

Respeito quem está realmente preocupado com a precisão desse número, mas está claro pra mim que domingo foi muito mais potente que sexta passada. É essa diferença que eu realmente gostaria de ver.

O Twitter publicou isso num gráfico muito interessante:



Pra você também ficou claro a diferença de barulho?

Até
Roberto

Um comentário:

  1. Perfeito Beto! Como fez falta de uma avaliacao mais técnica, como voce fez!
    Sem dados de erro da medida nao se pode acreditar em nenhum dos dois valores apresentados. Parabens pela avaliacao!

    ResponderExcluir