segunda-feira, 20 de maio de 2013

Ministra comemora ao comparar médias indevidamente

O cérebro não dói, senão nosso amigo Formigari sentiria uma fisgada no lobo frontal ao ler as inúmeras notas veiculadas na internet a respeito da fala da ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social) no último dia 16.

Veja, por exemplo, a do O Globo:

Título: Alunos do Bolsa Família têm aprovação acima da média
Subtítulo: Estudantes beneficiados pelo programa governamental Bolsa Família nas regiões Norte e Nordeste têm rendimento melhor do que a média brasileira no ensino médio das escolas públicas. A taxa de aprovação desses alunos é 82,3% no Norte e 82,7% no Nordeste, enquanto a taxa brasileira é 75,2%.

Ele me escreve: "Roberto, veja que a manchete é formulada a partir da comparação da média de aprovação do NE e N de alunos do Bolsa Família contra média brasileira geral. Na minha visão, temos que comparar com a média geral do NE e N ou trazer a estatística geral do Brasil para o Bolsa Família para a manchete trazer a informação correta".

Não precisava nem ver os dados para concordar, mas como a curiosidade é o motor da análise, fui buscá-los no portal do INEP (indicadores educacionais). Lá encontrei as médias de aprovação dos alunos do ensino médio já segmentados por região geográfica, zona (rural e urbana) e esfera (estadual e federal). Olha só que curiosos mesmo esses resultados:

Escolas federais são melhores que as estaduais? Rurais são melhores que as urbanas? Será? Ou a política de aprovação é diferente para esses estabelecimentos? Há confusão no ar...

Para mim, um leigo no assunto, chutaria que esse indicador (aprovação) não mede o desempenho dos alunos, mas das políticas adotadas do tipo "mandei aprovar 85%, então, façam o favor de me entregar esse resultado". A Ministra, além de não comparar médias de "laranjas com bananas", deveria apoiar-se nos resultados da Prova Brasil e Saeb, por exemplo.

Ministra Tereza, desculpe esfriar sua comemoração, mas diz aí para seus assessores que é pau na análise!

Até
Roberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário