sexta-feira, 12 de abril de 2013

Esqueçam o infeliz



Desde a posse do Feliciano como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara estamos assistindo a uma novela marcada por inúmeras manifestações. Sob protestos e aplausos as reuniões da comissão são iniciadas e logo paralisadas. É uma novela cujo enredo nada tem a ver com os objetivos da Comissão, mas com o fim do próprio Feliciano: ele fica ou não fica?

Claro que ele não ficará, isso é ponto pacífico. O problema é quanto tempo essa novela ficará no ar e quantos capítulos ainda terão. Está claro que os objetivos do Feliciano são ganhar e, principalmente, manter popularidade.

Um indicador dessa popularidade pode ser o número de pesquisas pelo nome do deputado no Google. Usando o Google Trends fica fácil observar que o primeiro objetivo foi alcançado, ele ganhou notoriedade e parece estar mantendo:



Fiz um segundo gráfico incluindo outros dois nomes que apareceram muito nas últimas semanas, o Hugo Chávez e o Papa Francisco. A diferença é que a "novela" deles já praticamente acabou, vejam só:



O melhor ataque ao Feliciano não seria parar os protestos e deixá-lo apodrecer lá na comissão? Como fazer com que ele seja totalmente esquecido agora?

Até
Roberto