domingo, 10 de fevereiro de 2013

Analisando a série histórica do IPCA

Pessoal, voltei e trago de novo o assunto que não sai da moda: inflação. Já relacionamos aqui IPCA com a Selic, e hoje vamos analisar o comportamento da série histórica do IPCA.

Na quinta passada saiu o IPCA mensal de 0,86% para janeiro/2013. Um valor alto, de assustar mesmo! A Folha da última sexta, usou o verbo "disparar" para descrever esse fato:

 

Disparar, segundo o Michaelis, é: "partir à desfilada, fugir desabaladamente". Vamos ver se é isso que aconteceu. Neste post vou explorar mais a fundo os dados mensais do IPCA. Mostrarei algumas ferramentas de análise que normalmente não aparecem aqui, acompanhe:

Primeiro vamos dar uma olhada na série histórica do IPCA. Coletei os dados desde 2005 e fiz um gráfico de controle para ver se nosso último janeiro encontra-se fora dos limites calculados:



Bem, pelo que vemos, o valor de 0,86 passou do limite superior. Por um triz, mas passou. Isso já é um indicador de algo a ser verificado. Não é à toa que choveram comentários por aí a respeito.

O texto do jornal diz que foi o pior janeiro desde 2003. Isso disparou em mim uma dúvida: será que a série do IPCA apresenta uma sazonalidade? A palavra sazonalidade deriva de sazão, ou estação do ano. Para se observar melhor se um resultado mensal tem relação com os meses anteriores podemos fazer o gráfico da função autocorrelação. A autocorrelação é a correlação entre observações de um mesmo indicador separadas por um intervalo de observações. Veja a análise para a série do IPCA:



Muito interessante! Espera-se nenhum padrão para dados que não são autocorrelacionados, mas para o IPCA há claramente um padrão. Note que a cada 6 meses a correlação inverte o sinal. Negativo para 6, 18 etc, e positivo para 12, 24 etc. Isso indica haver duas estações no indicador, uma no fim+início de ano e outra no meio do ano. Ótimo, estamos indo bem. Vamos explorar isso então.

Vou tentar mostrar essas duas estações com algumas visualizações dos dados agrupados por mês. Fiz 3 gráficos equivalentes e gostaria da sua opinião sobre qual deles mais mostra a variação sazonal da série histórica do IPCA, aí vão eles:







No primeiro, usei pontos para representar cada valor do IPCA. Trata-se de um gráfico de pontos individuais. No segundo, usei as linhas para mostrar cada ano. Fiz um espaguete de propósito para tentar mostrar a sazonalidade. No último gráfico usei box-plots para mostrar a distribuição dos valores de cada mês. Então, qual deles lhe parece mais fácil notar a tal sazonalidade? Você observou que normalmente os valores do IPCA de janeiro são relativamente altos?

Agora que sabemos que em janeiro a inflação normalmente "dispara", vamos ver se ela disparou em relação aos últimos anos. Acompanhe a variação dos meses de janeiro num gráfico de controle e veja a situação do "nosso" janeiro:



O que vemos? Sim, foi bem alto, mas disparar ainda não disparou...

Até
Roberto

Obs: agradeço ao leitor Getúlio de Oliveira que me enviou o tema da inflação para comentar!

13 comentários:

  1. Excepcional análise Roberto. Gostei muito.

    O último gráfico realmente mostra uma "escalada", mas não uma disparada. E o gráfico de box-plot dá uma excelente visão.

    Carlos Lobo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carlos!
      Escalada é uma palavra muito boa mesmo.
      Temos um voto pro box-plot, então.
      Forte abraço!

      Excluir
  2. Olá Roberto

    De fato, para gerar "notícia" as manchetes às vezes exageram um pouco no tempero. Um fato que notei é que a Dilma está muito bem instruída sobre a sazonalidade deste indicador, ouvi algumas entrevistas dele dizendo esperar que a inflação recue já a partir de junho, coincidentemente o mês de menor média no histórico de dados.

    Pau na manchete!!!

    Parabéns pela análise e pelo uso de diversos tipos de gráficos; eu gostei muito do primeiro (carta de controle) e do box-plot.

    Uma pergunta final: no gráfico da função de autocorrelação: poderíamos dizer que existe uma queda nos valores absolutos das autocorrelações nestes 8 anos de série? Em particular, no último ano?

    Seriam novos fatores de controle do governo, como o represamento de reajustes (ex.: gasolina, transporte coletivo etc.)?

    Mas esta é uma outra análise.

    Abs.

    Formigari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perguntinha intrigante Formigari. Entendo o seu ponto, de que o governo possa estar inventando fatores para tentar suavizar a variação, mas realmente não consigo ver isso no gráfico da função autocorrelação. Sua visão está aguçada, hein?!

      Excluir
    2. É. De fato às vezes temos conclusões prontas e só precisamos de dados, quaisquer, para usá-las. Mas voltando ao fenômeno: esta queda é só aleatoriedade? Ou tem algo escondido aí?

      Excluir
    3. Tive de voltar aos dados para lhe responder, Carlos. Os últimos 3 anos foram "parecidos" na sazonalidade, já os anteriores 2007 a 2009 estragam um pouco essa tese. Como não acredito que o IPCA não seja manipulável (veja exemplo dos 3 meses anteriores à eleição da Dilma, todos com IPCA=0), deve ter algo escondido aí mesmo.

      Excluir
  3. Muito bom artigo!
    E também voto no gráfico box-plot como visualização da sazonalidade.

    ResponderExcluir
  4. Excelente artigo Roberto!
    Gosto da visualizacao atraves do box plot (meio atrasado, mas ta valendo! rs)
    Abs,
    Thales

    ResponderExcluir
  5. Valeu, Thales. Espero que esses fenômenos não aconteçam aí naAlemanha!

    ResponderExcluir
  6. Sou fã desse blog, pode parecer um pouco tarde, mas voto no box-plot.

    Abs,

    Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Paulo. Vou tentar escrever mais... Agradeço se me enviar assuntos para discussão!
      Abraço

      Excluir
  7. Oi Roberto, o gráfico de linhas do IPCA de 2005 (espaguete) você fez por meio do excel ou de aplicativo?

    Abçs,
    Flavianny

    ResponderExcluir