terça-feira, 31 de maio de 2011

Vovô está on-line?

Na página 113 da edição do último dia 25 a VEJA publicou o seguinte gráfico para ilustrar a reportagem "Vovô está on-line".



O que acham? Algum problema com ele?

Volto na sexta com meus comentários.

:Dani

Editado pela autora:

Meus comentários: A escolha do gráfico é ruim, a leitura e comparação fica complicada com os arcos, a escala para o Brasil vai de 15-24 para 50 ou mais, já para os Estados Unidos, fica invertida. Enfim, um gráfico de barras seria muito mais adequado.

Mas o ponto principal está no subtítulo: O fenômeno americano - o predomínio dos quarentões e cinquentões entre os que acessam a rede começa a se repetir no Brasil

O fato de usar a internet por mais horas (em média) não significa necessariamente um predomínio dos quarentões e cinquentões americanos. Não temos aqui a informação do percentual de usuários por faixa etária. A análise deveria contemplar essa informação também.

Mas o mais grave é que este gráfico não mostra fenômeno similar no Brasil. Exceto pela faixa dos 15 ao 24 anos, com 30 horas de uso mensais, todas as outras ficam entre 23 e 24 horas de uso mensais, sem destaques. Além disso, quando leio um "começa a", fico logo esperando um gráfico de tendência, que mostre dados ao longo do tempo.

3 comentários:

  1. O problema é que colocamos que os vovôs estão utilizando muito a internet, mas temos 23h contra 30h dos mais jovens(15 a 24 anos). E nos EUA temos 41h dos vovôs contra 33h dos jovens.
    O que me impressionou é como os norte-americanos utilizam mais internet que os brasileiros e pelo que entendi estavam comparando somente pessoas que possuem acesso a internet.

    ResponderExcluir
  2. Sim Nelson, por esse gráfico diríamos que no Brasil "Os netos estão on-line"

    ResponderExcluir
  3. Dani, você foi elegante. Dá pra soltar um "PAU NO GRÁFICO!!!!" a plenos pulmões...

    ResponderExcluir