sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Resposta para o QUIZ Gráfico de Setores

Hoje é sexta e, conforme prometido no QUIZ - Gráfico de setores, estou de volta para falarmos sobre os deslizes cometidos no gráfico abaixo, publicado na terça, dia 7, pela Folha de São Paulo (pág. B2) em nota divulgando o resultado de uma pesquisa de Intenção de Gastos para as compras de Natal, realizada por um shopping de São Paulo.



Na minha opinião há vários pequenos deslizes, alguns deles reconhecidos nos comentários que reproduzo mais adiante e um grande "escorregão"...

Veja os dois gráficos abaixo, com os mesmos dados:





O grande "escorregão" é que para mostrar estes dados, o gráfico escolhido não foi adequado.
Um gráfico de barras cumpre muito melhor a função de compararmos o percentual cada faixa de gasto. Percebemos muito mais facilmente as diferenças, inclusive entre a barra dos R$100 e a barra do mais de R$ 200, mesmo que omitíssemos os valores 43% e 39%.

Outros deslizes foram bem identificados pelo Luciano e pelo Carlos.

"Luciano Peloche disse...
Na minha humilde opinião:
1 - cores. A falta de cores deixa o gráfico ruim de ser lido;
2 - mistura de percentual com os valores (R$). Tb complicado de entender;
Basicamente é um gráfico que perde-se mais de 30 segundos pra ser entendido, ou seja, ruim!
8 de dezembro de 2010 23:50"


"Carlos disse...
Também concordo com o Luciano. Me parece que as escolha das cores - ou falta delas, foi infeliz. Também costumo ordenar o gráfico de setores das frações maiores para as menores.
Por último, e aí sim é um preciosismo meu, o gráfico diz respeito a uma informação secundária da notícia. O título e o texto buscam mostrar que as pessoas não estão com pressa para fazer as compras de natal. Já o gráfico trata do quanto cada um pretende gastar. Esta é uma informação secundária na notícia.
9 de dezembro de 2010 11:06"

Se for usar gráfico de setores, use cores para diferenciar as fatias.

A mistura do percentual com valores ocorre pela escolha inadequada do tipo de gráfico. Agora, que os rótulos são ruins, isso são! "R$50" significa "até R$50", "em torno de R$50", "de R$50 a R$100" ou outra coisa? O mesmo vale para o "R$100".
Agora, o "mais de R$200" e o "acima de R$1000" são os piores. Pode ser preciosismo meu, plagiando o Carlos, mas na minha escola acima de R$1000 é maior que R$200.
Resumindo: uma confusão danada!

Quanto à ordenação das fatias, em geral ordenamos o gráfico de setores das frações maiores para as menores, porém, neste caso, se insistíssemos em usar setores, melhor manter a ordenação natural das fatias, pela intenção de gasto declarada.

Por último, concordo com o Carlos que o gráfico não se refere ao título da reportagem, NATAL SEM PRESSA, mas eu não saberia dizer qual é secundária. Ou seja, não sei se mudo o gráfico ou se mudo a manchete!

Agradeço ao Luciano e ao Carlos pelas suas contribuições.

Obrigada!
:Dani

Em tempo!
"Walker disse...
Já que Carlos e Luciano fizeram o trabalho sério, só me resta a preocupação de saber que estou ente os 4% que têm clara intenção de ultrapassar o milhar de reais e aqueles que presentear-me-ão estão entre os 15% cujo teto dos gastos bate em meia centena de reais.
10 de dezembro de 2010 20:47"

Sugiro uma pesquisa entre seus amigos e familiares. Você já sabe que gráfico utilizar para mostrar os resultados!



4 comentários:

  1. O presentear-me-ão do Walker foi supimpa. Ninguém não se nos disse que aqui o purtuga é coisa fina.

    ResponderExcluir
  2. Roberto,
    Você considera bom o uso de gráficos de setores com círculos cocêntricos como esse utilizado pela Nielsen? (Gráfico "Top 10 Categories of Apps Use by Smartphone Owners Who Dowload Apps", slide 7, http://blog.nielsen.com/nielsenwire/social/)

    ResponderExcluir
  3. Puxa Pedro, que olhar afiado. Você deve ter atirado o pau nesse gráfico pois o melhor a fazer é um simples gráfico de barras, poderia ser horizontais devido aos rótulos. O problema com o de círculos concêntricos é que o que fica por fora parece muito maior em "quantidade", assim, pau no gráfico!

    ResponderExcluir