domingo, 28 de novembro de 2010

Meio ambiente: monitorar para preservar

Medir é geralmente difícil e custa caro, mas é fundamental para gerenciar as coisas. A Cetesb presta um enorme serviço há décadas ao avaliar sistematicamente a qualidade das praias de São Paulo. É um exemplo de constância de propósito em melhorar o meio ambiente. Neste último domingo a Folha trouxe a reportagem: "Em dez anos, S.Sebastião perde a excelência de praias" com este gráfico:



Trata-se do mesmo tipo de gráfico encontrado no site da Cetesb. Este tem sua função: a de um banco de dados que o cidadão pode consultar para decidir qual praia frequentar.

Ocorre que não é fácil notar a piora da qualidade das praias pelo excesso de cores e informações analíticas de cada praia. É preciso resumir isso. Minha sugestão é fazer um gráfico mostrando a quantidade de praias com classificação Boa ou Ótima pela Cetesb. Veja abaixo:



Aprendemos com ele que a manchete da Folha infelizmente parece ter razão. O percentual encontra-se em torno de 35%, quando já esteve em torno de 70% no início da década. Isso pode ser efeito da variação, que já abordamos aqui no post "Titirica, o filósofo". Importante é continuarmos acompanhando.

De volta aos gráficos, aqui é uma boa oportunidade para usar gráficos interativos (para publicações digitais). Trago a seguir um exemplo publicado pelo NY Times que poderia ser seguido: http://nyti.ms/dBhv4h.

O leitor tem bastante controle das informações que deseja obter navegando pelos gráficos. A Cetesb poderia usar essa tecnologia pois já coleciona muita informação a respeito de nossas praias. Pode ser um atrativo para que, com os indicadores em mãos, cada vez mais pressionemos nossos eleitos a exercer a gestão das mudanças necessárias para melhoria do nosso ambiente.
Até,
Roberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário