terça-feira, 29 de junho de 2010

Vamos discutir a relação?






Na matéria “No campo da bolsa, Chile vence Brasil”, FSP – 28/06/2010 – Mercado B2, aparecem dados do desempenho das bolsas desde o início da copa nos países participantes dela. Outra informação que acompanha o gráfico é quais países se classificaram para as oitavas. Eu pergunto, o que uma coisa tem a ver com a outra? Será que o desempenho das seleções tem relação com o humor das bolsas dos respectivos países? Isto é, os jogadores ficam motivados com seus ganhos de capital e dão “tudo de si” pra recompensar essa alegria? Ou seria o contrário, quando as seleções estão indo super bem, os mercados é que ficam eufóricos? Mas, esperem, pode ser que a frustração pelos maus resultados na copa é que contamina o nervosismo das bolsas dos países desclassificados.

Está aí mais um assunto futebolístico que todo mundo tem uma explicação DEPOIS de ver os resultados. No futebol é assim, fizemos 3 x 0 no Chile e todo mundo diz que já sabia e esperava esse resultado por causa disso ou daquilo. Mas ANTES da partida, a predição nem sempre era essa. Ponha a mão na consciência...

Voltando às bolsas, o texto diz, com certo receio, que há uma relação bolsa x copa. Achei o repórter bem criativo ao tentar achar alguma relação entre mercado e futebol, mas vamos lá, ele exagerou. Alguém em sã consciência diria, ou melhor, prediria que há essa tal relação ANTES de verificar algum resultado? Alguém pode me explicar isso com alguma teoria?

Incrível. Ao se aplicar um teste de hipóteses (fiz questão de aplicá-los), realmente diríamos que a tal relação é “estatisticamente significante”. Ocorre que aplicamos o teste APÓS o fato ter acontecido. Quando garimpamos informações num bocado de dados, como agora em época de copa do mundo, às vezes achamos relações estranhas ou coincidências pitorescas, mas que não passam da obra do acaso. O problema, então, passa a ser a explicação dessas coisas.

Por outro lado, uma boa análise começa sempre com uma boa pergunta. Por exemplo, num post anterior, discutimos se os acidentes melhoraram ou não após a aplicação da “Lei Seca”. Pudemos discutir os resultados, pois havia uma questão importante a ser verificada com os dados. Quando estamos tentando, através de um conjunto de dados, achar uma relação sobre a qual previamente temos uma predição a respeito baseada numa teoria, isso é fazer uma boa análise.

Sobre a relação bolsa x copa, resta-nos aplicar o bordão de um comercial de cachaça: explica!!??

Sobre predição, predigo que vai dar Argentina e Brasil na final. Veremos!
Até,
Roberto

2 comentários:

  1. Esses são típicos dados a procura de uma hipótese...

    Gostei muito do post, pois com certa frequência me deparo com esse tipo de relação, seja na imprensa e até mesmo em ambiente acadêmico. Essa discussão ajuda muito na criação de uma crítica aquilo que se lê.

    ResponderExcluir
  2. Uma pena que você não acertou o seu forecast da final da copa ... seria muito legal. Quem sabe aqui no Brasil.
    Como adoro correlações, vai outra aí com este assunto, que peguei lendo o post: dos 16 países classificados para as oitavas de final, 13 têm a primeira letra do nome iniciando com as letras entre A e J, ou seja, entre as 10 primeiras letras do alfabelto. Explica?!?

    ResponderExcluir